11 Características indispensáveis para um e-commerce de sucesso

0
497

Artigo escrito por Rafael Antunes, editor do Portal de Planos, um blog especializado sobre planos de celular, internet, telefone fixo e TV por assinatura.

Começar um e-commerce pode ser extremamente atrativo e promissor, já que a ideia sugere o ganho de dinheiro sem grandes esforços físicos, limitações de horários e até mesmo de uma grande carga horária.

E isso não deixa de ser verdade e pode funcionar num nível bastante intenso e estabilizado a ponto de você ganhar dinheiro até mesmo dormindo e tirar boas semanas de férias.

Mas para isso se tornar realidade será necessário bastante trabalho para a estruturação e organização do seu e-commerce. Abaixo citamos 11 características essenciais que todo e-commerce precisa ter para começar a engrenar e render.

1. Uma boa plataforma

Ter uma boa plataforma é fundamental não somente para a praticidade do seu trabalho, o que está diretamente ligado à produtividade, como também para a interação dos seus usuários e potenciais clientes com o seu site. Problemas de funcionalidade são um espantalho de consumidores.

Muita gente que está começando usa o WordPress, que tem uma boa gama de temas (muitos gratuitos) e que podem se adequar ao que sua loja virtual se propõe a apresentar. Sem mencionar inúmeros plug-ins que você pode adicionar para executarem determinadas funcionalidades.

Porém, o ideal é que você tenha o seu próprio CMS, o que permite total personalização e ajustes ao que você precisa. Mas para isso é necessário ter um bom conhecimento na área de programação e tempo para desenvolver a plataforma, ou ter dinheiro para contratar alguém habilitado para fazê-lo.

2. Facilidade de navegação

Diretamente ligado à plataforma, é importante que a navegação dos usuários seja fluida. Quem entrar no seu site deve ter a facilidade de encontrar o que está procurando, e para isso é importante que o conteúdo esteja muito bem organizado e categorizado em menus e submenus (se necessário), dispostos na parte superior ou lateral do seu tema.

Se os navegantes ficarem perdidos, poderão não encontrar o que gostariam de comprar e até mesmo perderem a confiança no seu site, o que significa dinheiro perdido.

É bastante interessante usar um menu drop-down de navegação vertical e horizontal, de forma que quando se passa o mouse sobre algum item sejam encontradas opções para diferentes tipos de produtos, marcas, ou qualquer outra forma de categorização.

Os filtros também enriquecem bastante o seu site, permitindo que o comprador elimine opções que não o satisfaçam e defina algumas especificações para busca, como preço, marca, cor, etc.

3. Propósito no destaque de informações

O primeiro ponto é que o que mais precisa aparecer no seu site são os produtos. À partir disto, tiramos duas conclusões:

A primeira delas é que aquilo que você vai vender deve chamar mais atenção do que o próprio site. Isso significa que você deve usar um design simples, sem cores extravagantes e enfeites mirabolantes.

A segunda é que não basta que os produtos estejam em destaque, mas os produtos “corretos” são os que devem atrair mais a atenção dos usuários. Procure saber que tipos de produto as pessoas mais estão comprando, dentre eles os modelos mais vendidos, novidades e promoções (essa palavra tem bastante poder nesse ramo e muitas pessoas buscam especificamente por isso).

Uma dica é que os produtos a serem destacados estejam no início da página, pois nem todos descem até o final para olhar tudo.

4. Clareza visual

Não basta que as informações sejam bem organizadas e destacadas de forma correta, se não houver clareza visual. Isso inclui a disposição das imagens, tamanhos, tipos e cores das fontes, cores, quantidade de anúncios numa mesma página, posição do preço em relação à imagem, etc.

Esse cuidado vale tanto para propiciar um ambiente agradável e confortável aos navegantes, como também para eliminar distrações e focar no produto que o consumidor quer comprar.

Então evite excesso de banners, cores fortes e extravagâncias, evitando assim a poluição visual que também é um grande espantalho de usuários.

5. Fotos de qualidade

Jamais use fotos de baixa qualidade! Quem compra na internet geralmente não tem a oportunidade de ver o produto ao vivo e nem de tocá-lo. Por isso é fundamental que as imagens do produto sejam em alta resolução, transmitindo fidelidade, e que as fotos contenham vários ângulos e detalhes. Isso passará mais confiança para o interessado decidir pela compra.

6. Coerência entre layout e produtos

Em poucas palavras, o seu layout tem que refletir a personalidade do público alvo do produto apresentado ou ao menos não entrar em conflito com o mesmo.

Isso quer dizer que, se você tem uma seção destinada à venda de produtos para bebês, como fraldas, talcos, berços, mamadeiras…, não é nada coerente usar somente preto, com letras “agressivas”, como se fosse vender uma guitarra para um metaleiro. E nem usar um monte de “cores e letras fofinhas” para vender um triciclo.

Se não for possível aproximar o layout do tipo de produto apresentado (e mesmo quando isso for feito, tome muito cuidado com exageros para não deixar o visual carregado), use uma apresentação simples, com cores suaves e neutras, pois isso vai bem com tudo (que nem roupa preta ou roupa branca).

7. Conhecimento sobre o produto

As páginas de compra de cada produto devem apresentar detalhadamente o máximo de informações técnicas e descritivas a respeito do mesmo.

E isso não se limita apenas à uma lista com especificações, mas abrange até mesmo o número de fotos, o ângulo das mesmas, considerando proximidades para alguns detalhes que não podem ser enxergados a longa distância, e se possível até mesmo algum review em forma de vídeo (em alta definição e bem editado; pode ser de uma URL do Youtube). Tudo de forma clara e organizada, de acordo com seu layout.

É interessante usar também palavras e termos característicos do nicho do público alvo daquele produto. Tudo isso passa confiança e segurança para o usuário saber o que está comprando e não precisar procurar informações em outras lojas.

8. Facilidade no processo da compra

Quanto mais fáceis forem as etapas para a conclusão de compra, maiores são as chances de a compra ser finalizada.

Se as etapas forem muito complicadas e confusas, pode ser que o potencial comprador desista da compra. Então simplifique a compra o máximo possível, não abrindo mão de obter e fornecer informações com clareza e objetividade para a segurança tanto do cliente quanto da sua loja.

Pode ser interessante ter um botão que redirecione o cliente ao seu “carrinho de compras” onde ele pode escolher em seguir com as etapas de finalização ou continuar navegando e adicionar mais produtos ao carrinho.

9. Identidade

O seu site precisa ter personalidade. Procure ter uma identidade visual, de modo a estabelecer a sua marca. Isso conquistará eventuais compradores a se fidelizaram à sua marca e se tornarem fregueses.

Se você tem também uma loja física, transmita a personalização da mesma para o seu site, usando as mesmas cores, logotipo, fontes, etc.

10. Segurança

Não da pra ter uma loja online de sucesso sem segurança. É de extrema importância que você invista na segurança do seu site (existem agências que cuidam disso), pois este tipo de negócio é um alvo muito visado por hackers.

Um problema dessa natureza pode trazer danos gravíssimos desde os seus clientes, que podem ter seus cartões clonados ou serem lesados de outra forma pela exposição de seus dados ao banco de dados da sua loja, até você, diretamente por um roubo do hacker, alterações feitas no sistema do seu site, e até mesmo problemas judiciais por processos (muitos) da parte dos clientes que foram lesados.

11. Seriedade

Seguindo tudo que já foi mostrado até aqui, seu e-commerce passará a imagem de que tem a habilidade de quem sabe o que está fazendo com o cuidado de quem respeita o consumidor (e é vital que você o respeite de fato, sendo sempre transparente e cumprindo prazos e acordos).

No que depender de você, jamais pise na bola com um comprador, tanto pelo respeito com ele, quanto pelo temor de perder um bom cliente e de ter a imagem do seu e-commerce manchado e até mesmo difamado (os compradores digitais são bastante exigentes e rígidos). É claro que problemas e falhas vão acontecer, mas elas devem ser exceção e precisam ser trabalhadas para serem minimizadas quando acontecerem.

 

Conclusão

Além de todas essas características que o seu e-commerce deve ter, procure estar atento às lojas digitais de sucesso que já estão estabelecidas e extraia o que eles tem de bom que pode funcionar pra você, e procure não fugir dos elementos de navegação e design convencionais, como:

  • Posição dos menus (topo ou lateral esquerda da página).
  • Barra de pesquisa facilmente de ser percebida.
  • Informações de contato com acesso fácil no rodapé.
  • Recurso para definição clara do caminho da navegação (Breadcrumb).
  • Catálogos em forma de grade ou lista com imagem, preço e link (na própria imagem e texto do preço) para a página com detalhes do produto (que também devem apresentar imagem e preço de modo destacado, além do botão de comprar).
  • E outros padrões que você identificar nos grandes sites.

 

Compartilhar

Deixei um comentário

Favor digitar seu comentário
Por favor informe seu nome